1976 - O ANO DA INVASÃO CORINTHIANA

Project Description

FICHA TÉCNICA
Uma produção Canal Azul
Coprodução: ESPN
Direção Ricardo Aidar e Alexandre Boechat
Roteiro: Ricardo Aidar e Alexandre Boechat – coloca o Mario???
Produção Executiva: Renata Rudge e Sylvio Rocha
Direção de Produção: Marcela Coelho
Montagem: Caio Rodrigues e Alexandre Aidar
Direção de Arte: Flavio Reis
Trilha Sonora: Marcos Azambuja
Edição de Som e Mixagem: YB Music
Finalização: Zumbi Post
Distribuição: Conexão Cultural
Patrocínio: Besni, Brahma, Nacional Tubo, UOL,
Apoio: BNDES
Ancine, Proac e Governo do Estado – Secretaria da Cultura

 

“1976 – O Ano da Invasão Corinthiana” é um documentário longa-metragem de aproximadamente 90 minutos sobre uma das maiores, mais impactantes e comoventes declarações de amor e fidelidade, que uma torcida de futebol já prestou ao seu time do coração.
Aconteceu em dezembro de 1976, quando mais de 50 mil torcedores corinthianos se deslocaram, de corpo e alma, de São Paulo para o Rio de Janeiro, para assistir ao jogo contra o Fluminense, no Maracanã, válido pela semifinal do Campeonato Brasileiro de Futebol. Deixando para trás 400km e um nó na garganta após 22 anos sem conquistar títulos.
O movimento ganhou fama como “A invasão”, “A invasão do Maracanã” e “A invasão corinthiana”. O fato é que na história do futebol do Brasil e do mundo não se tem conhecimento de um evento esportivo com tamanho deslocamento humano, e pacífico.
O Corinthians venceu o jogo por 2 a 1, mas certamente essa mobilização inédita e gloriosa da torcida valeu muito mais que o placar. Ao contrário da ideia de que a alegria do torcedor está no que o time faz, a torcida mostrou sua força e fez-se protagonista da história. Só corroborando com a imagem de fenômeno social de alto grau de influência no país que o Corinthians tinha na época.
O documentário reproduz esse momento histórico, refazendo o trajeto dos torcedores, na estrada e em seus corações. Mostrará repercussão esportiva, social e emocional de uma manifestação deste porte.

Switch to mobile version